Consórcio ou Financiamento | Veja qual é a melhor opção

Consórcio ou Financiamento? Saiba como funciona antes de escolher
Consórcio ou Financiamento? Saiba como funciona antes de escolher

Se você tem dúvidas sobre como funcionam as compras com consórcio e financiamento, não se preocupe. A seguir vamos mostrar a diferença entre esses dois serviços financeiros e explicar qual é a melhor opção para a compra de imóveis e veículos. Confira!

Consórcio ou financiamento?

Consórcio ou financiamento?

Se você está pensando em comprar um imóvel ou um veículo, é normal que apareçam dúvidas sobre como realizar a compra sem o valor total do bem. As principais opções de serviços financeiros nesse caso são consórcio ou financiamento, por isso vamos explicar a seguir qual é a melhor opção dependendo da situação do comprador.

Primeiramente, vamos explicar o que é financiamento e o que é consórcio para que você esteja familiarizado com os dois termos.

Em resumo, a principal diferença entre essas duas opções é o tempo de espera, já que com o financiamento você pode ter o imóvel logo após fechar o contrato, enquanto que com o consórcio não dá para saber quando você será beneficiado, já que o recebimento do valor é definido por sorteio. Saiba mais a seguir!

O que é financiamento?

No financiamento, o banco ou financeira que concede o crédito é quem paga em uma única parcela o vendedor do bem, seja imóvel ou veículo. Depois disso, você fica responsável por pagar as parcelas para quem lhe emprestou, geralmente, em até 36 meses para carro e até 35 anos para imóveis.

Como em qualquer empréstimo, para conseguir o financiamento você passa por uma análise de crédito. Para isso, normalmente, são solicitados comprovante de renda, residência e informações pessoais para saber se o solicitante tem condições de pagar as parcelas do financiamento.

Taxa de juros do financiamento

Como você está pedindo dinheiro emprestado, é normal que o banco ou financeira cobre pelo serviço. É aí que entram os juros, que em alguns casos pode até dobrar o valor do bem no final do financiamento.

As taxas de juros para financiamento de veículos vão de 0,78% ao mês a 3,83% ao mês, segundo um levantamento feito pelo Banco Central com 45 instituições financeiras, no período de 10 a 16 de janeiro de 2021, para operações pré-fixadas destinadas à pessoas físicas. Já para financiamento imobiliário, as taxas giram em torno de 7,5% ao ano.

Em vários casos, é comum o cliente dar um valor de entrada e parcelar o restante do valor do bem. É importante saber que quanto maior a entrada, menos você vai pagar de juros. Para encontrar o melhor financiamento do mercado, é bom fazer simulações em várias instituições financeiras para comparar os juros e as condições do financiamento antes de contratar.

A seguir vamos apresentar alguns exemplos de financiamento para que você entenda como as taxas de juros e os pagamentos funcionam na prática. Confira!

Exemplo 1 | Financiamento de carro

Exemplo de financiamento de carro
  • Valor do carro: R$ 35 mil
  • Entrada: R$ 5 mil
  • Taxa de juros: 1,4% ao mês
  • Valor total financiado: R$ 30 mil
  • Prazo: 36 meses (3 anos)
  • Pagamento mensal estimado: parcelas de R$ 1.066,60
  • Juros acumulados no período: R$ 8.397,53
  • Pagamento total no período: R$ 38.397,5

Exemplo 2 | Financiamento de carro

  • Valor do carro: R$ 35 mil
  • Entrada: R$ 20 mil
  • Taxa de juros: 1,4% ao mês
  • Valor total financiado: R$ 15 mil
  • Prazo: 36 meses (3 anos)
  • Pagamento mensal estimado: parcelas de R$ 533,30
  • Juros acumulados: R$ 4.198,77
  • Pagamento total no período: R$ 19.198,77

Exemplo 3 | Financiamento de imóvel

  • Valor do imóvel: R$ 248 mil
  • Entrada: R$ 50 mil
  • Taxa de juros: 7,82% ao ano
  • Valor total financiado: R$ 198 mil
  • Prazo: 35 anos
  • Tabela SAC: prestações mais altas no início e menores no final
  • Valor indicativo da primeira parcela: R$ 1.670
  • Juros acumulados no período: R$ 260.716,35
  • Pagamento total no período: R$ 458.716,35

Como as taxas de juros variam bastante e alguns décimos podem fazer uma diferença grande, o recomendando é simular o financiamento em vários lugares antes de fechar negócio. É importante saber que o bem é do banco ou da financeira até o pagamento da última parcela.

O que é consórcio?

O que é consórcio?

O consórcio é um tipo de poupança coletiva formado por pessoas, físicas ou jurídicas, que se juntam para guardar dinheiro e comprar um bem, normalmente uma casa ou um carro.

Dessa forma, todos os participantes pagam parcelas mensais para a administradora do consórcio, que vai cobrar algumas taxas em troca do serviço, sendo a mais comum a taxa de administração do consórcio.

O valor acumulado será utilizado para aquisição do bem ou serviço definido antes do início do consórcio. A grande questão do consórcio é que cada participante é contemplado a partir de um sorteio, ou seja, não dá para saber quando a compra será realizada. Entenda a seguir!

Sorteio e lance do consórcio

No sorteio do consórcio, um ou mais participantes do grupo são sorteados para utilizar o valor do crédito contratado, ou seja, a carta de crédito. O sorteado recebe o valor ou bem independentemente do número de prestações que tenha pago até o momento. E mesmo que seja sorteado no início do consórcio, deverá continuar pagamento as parcelas até o final.

Dessa forma, todos os participantes concorrem de forma igualitária pelo direito de utilizar o valor do consórcio. Portanto, é importante considerar que a “sorte” é o que define o consórcio, já que a pessoa pode ser contemplada do primeiro ao último mês do grupo, podendo levar anos até receber a carta de crédito.

É aí que entra o lance, que nada mais é do que uma forma do consorciado aumentar as suas chances de ser contemplado. O lance é uma oferta de um valor, sem limite definido, que será abatido no saldo devedor e que pode aumentar as chances do consorciado ser contemplado.

As regras de oferta e apuração de lances variam entre os grupos e constam no contrato de adesão, mas, no geral, quem der o maior lance fica com a carta de crédito para comprar o bem.

Quanto oferecer no lance do consórcio?

Uma boa média é oferecer 30% do valor do bem como lance do consórcio, mas as chances aumentam muito com lances próximos a 50%. Vale lembrar que sendo sorteado ou tendo um lance contemplado, o carro ou imóvel fica no nome da administradora até o pagamento da última parcela.

Exemplo de consórcio de veículo

Valor da carta de crédito (dinheiro que poderá usar quando for contemplado): R$ 30.000

Tempo do consórcio: 60 meses

Simulação de Taxas

Fundo comum: 100% do valor do bem dividido pelo número de meses do consórcio: R$ 30.000 ÷ 60 meses = R$ 500 por mês. Saiba mais sobre consórcio de automóvel.

Taxa administrativa

Fundo de reserva

  • 15% do bem dividido pelo número de meses do consórcio
  • 15% de R$ 30 mil = R$ 4,5 mil
  • R$ 4,5 mil ÷ 60 meses = R$ 75 por mês
  • 2% do bem dividido pelo número de meses do consórcio
  • 2% de R$ 30.000 = R$ 600
  • R$ 600 ÷ 60 meses = R$ 10 por mês

Parcela

  • Fundo comum + taxa administrativa + fundo de reserva
  • R$ 500 + R$ 75 + R$ 10 = R$ 585 por mês a ser pago pelo consorciado

Taxas cobradas no consórcio

Taxas consórcio

A seguir vamos conhecer cada uma das taxas que são cobradas em um consórcio. A taxa de administração é a única taxa necessariamente comum a todos os consórcios, mas também existem outras que podem ser incluídas. Confira as principais.

Taxa de administração: remuneração que a administradora do consórcio ganha por gerenciar o processo. Essa taxa é uma porcentagem do valor contratado pelo consorciado, sendo dividida pelo total de prestações. Exemplo:

  • Taxa de administração de 20%
  • Consórcio contratado: 67 parcelas
  • Taxa de administração: 0,29% ao mês

Fundo de reserva: garante o funcionamento do grupo em situações inesperadas, como inadimplência dos integrantes. No geral. esse fundo varia entre 1% e 2%, divididos pela duração do contrato do consórcio. Exemplo:

  • Fundo de reserva: 2%
  • Consórcio: 50 parcelas
  • Taxa de fundo de reserva: 0,029% ao mês

Seguro: quando previsto em contrato, o integrante do consórcio deve pagar por uma taxa de seguro. A porcentagem dessa taxa também muda de acordo com as administradoras de consórcio, mas costuma ser por volta de 0,03% ao mês sobre as parcelas.

Alterações nas taxas do consórcio

O consorciado deve saber que algumas taxas estão sujeitas à variação. Nos consórcios de imóveis, por exemplo, elas são reajustados de acordo com o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ou o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Qual é melhor: consórcio ou financiamento?

Aqui retomamos ao que falamos no início deste artigo, se você tem pressa para comprar uma casa ou um carro, o recomendado é escolher o financiamento. Caso contrário, se você vai fazer uma compra planejada e pode esperar meses ou anos, a melhor opção é o consórcio, pois o preço final é bem mais baixo se comparado com o financiamento.

No entanto, é preciso analisar caso a caso. Vale destacar que apesar das vantagens do consórcio, também existem algumas desvantagens. Por exemplo, se a pessoa está interessada no consórcio imobiliário e paga aluguel, é preciso considerar que vai precisar manter esse gasto por um período indefinido até o sorteio do consório. Além disso, o risco de inadimplência deve ser analisado, pois o consórcio não depende apenas de um participante. Por isso, é bom estudar com calma o histórico da financeira ou banco escolhido.

Selectra Seguros

Saiba mais sobre Finanças na Selectra!
Informações e dicas sobre investimento e finanças de um jeito simples para você!

Aproveite para ler outros artigos sobre finanças, investimentos e empréstimos!

Atualizado