Imposto de Renda 2021 | Saiba tudo sobre a declaração do IRPF


Está chegando a hora declarar o Imposto de Renda 2021 e é normal que apareçam dúvidas sobre como declarar o IRPF, como não cair na malha fina e como funciona a restituição do imposto de renda. Se você quer ficar em dia com a Receita Federal, informe-se neste artigo e confira as nossas dicas!


Imposto de Renda 2021

A declaração do Imposto de Renda deve ser feita todos os anos entre os meses de março e abril. Se você já está se preparando para a declaração do IRPF 2021, nós temos muita informação para compartilhar com você. A Receita Federal prevê que sejam enviadas neste ano 32 miilhões de declarações.

Caso você tenha dúvidas sobre como declarar o imposto de renda corretamente para não cair na malha fina ou ainda sobre como funciona a restituição do IRPF, a seguir vamos explicar isso e muito mais sobre esse procedimento tão importante para os brasileiros. Vale lembrar que o contribuinte que não enviar a declaração do Imposto de Renda pode ser multado por atraso.

O que é Imposto de Renda?

O que é Imposto de Renda?

A sigla IRPF significa Imposto de Renda sobre Pessoas Físicas e é usada para identificar o tributo federal popularmente conhecido como imposto de renda, que deve ser declarado anualmente.

No geral, o imposto de renda serve para que o governo federal possa acompanhar os seus ganhos, gastos e patrimônios por meio da Receita Federal. Com a declaração do IRPF, o governo analisa se os tributos que você pagou ao longo do ano estão de acordo com os seus ganhos e a partir disso é possível saber se você deve receber a restituição dos impostos ou pagar algum tributo a mais.

Para que serve o Imposto de Renda?

O Imposto de Renda, que também é chamado de IR, foi introduzido no Brasil em 1846, mas só passou a funcionar da forma que conhecemos hoje a partir de 1922. Se você está se perguntando para que serve o imposto de renda, não se preocupe. Vamos explicar a seguir!

A cobrança desse imposto tem como objetivo arrecadar fundos para fazer melhorias na gestão pública e nos serviços oferecidos pelos estados, municípios e governo federal. De modo geral, o Imposto de Renda deve ser pago por cada contribuinte (pessoa física ou jurídica) com o objetivo de pagar uma certa porcentagem da sua renda para o governo.

Muitas pessoas não sabem, mas o IR é retido mensalmente do salário e em outros rendimentos. Dessa forma, a declaração do Imposto de Renda anual obrigatória existe para a Receita Federal descobrir quem está pagando mais ou menos impostos que deveria.

Calendário do IRPF 2021

A Receita Federal já divulgou calendário do Imposto de Renda 2021. Dessa forma, fica confirmado o prazo para a declaração do IRPF, que vai de 1º de março a 30 de abril de 2021. No ano passado, o prazo foi estendido até o final de junho por causa da pandemia do Coronavírus, mas neste ano o prazo volta a ser de dois meses.

Calendário da Restituição do IR 2021

Todos os anos, a Receita Federal informa sobre o calendário de restituições do IR, que são datas marcadas como lotes: 1º lote, 2º lote, 3º lote e assim por diante.

Neste ano, o pagamento da restituição do IR continuará sendo feito em cinco lotes. Sendo assim, o início da devolução está previsto para maio de 2021. A seguir vamos compartilhar o calendário da restituição de 2021 confirmado pela Receita Federal.

  • 1º lote | 31/05.
  • 2º lote | 30/06.
  • 3º lote | 30/07.
  • 4º lote | 31/08.
  • 5º lote | 30/09.
Programa Imposto de Renda | Como baixar?
Saiba mais

Quem precisa declarar Imposto de Renda?

Quem deve declarar imposto de renda?

O primeiro passo é consultar se você faz parte do grupo de pessoas que obrigatoriamente deve declarar o imposto de renda. Depois, você deve se preparar para preencher corretamente a declaração e evitar problemas com a Receita Federal.

Além disso, é importante saber que se você atrasar a entrega do IRPF, você pode ter que pagar uma multa. Por isso, nós recomendamos que todos os passos sejam feitos com atenção e dentro do prazo. Confira a seguir quem deve declarar Imposto de Renda!

Veja quem precisa declarar Imposto de Renda 💰

A seguir vamos listar algumas situações que fazem com que você tenha que declarar o Imposto de Renda em 2021 obrigatoriamente. Vale lembrar que as informações devem considerar os ganhos do período entre janeiro e dezembro do ano anterior, ou seja, todo o ano de 2020. Confira!

  • Renda (aluguel de imóveis, comissão, férias, pensão, entre outros) ou salário anual maior que R$ 28.559,70.
  • Rendimento de investimentos maior que R$ 40.000,00.
  • Renda bruta superior a R$ 142.798,50 em atividades agropecuárias.
  • Propriedade de bens ou posse de direitos, até o dia 31 de dezembro, com valor superior a R$ 300.000,00.
  • Ganho com a operação de venda de imóvel residencial.
  • Operação na bolsa de valores ou ganho de capital na alienação de bens em qualquer período do ano.
  • Passou a ser residente no Brasil em qualquer mês do ano e esteve nessa condição até o último dia do ano, ou seja, 31 de dezembro de 2020.

Imposto de Renda Não deixe para fazer a declaração do imposto de renda na última hora porque você pode ser surpreendido com um sistema da Receita Federal sobrecarregado e ter dificuldade para concluir o processo. Ou seja, envie o IRPF 2021 o quanto antes e evite problemas!

MEI precisa declarar imposto de renda?

Existe uma grande dúvida sobre se quem é MEI precisa fazer a declaração do imposto de renda. Se o Microempreendedor Individual emitir todas as notas fiscais, pagar o DAS, que é o imposto simplificado e entregar a Declaração Anual do Simples Nacional do MEI (DASN-SIMEI), ele não vai precisar fazer outra declaração de impostos.

Porém, se a remuneração anual do empreendedor MEI chegou a R$ 40 mil no ano anterior, o mesmo vai precisar fazer a declaração de IR. Além disso, vale lembrar que quem é MEI e tem rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 também precisa declarar o Imposto de Renda.

Quem não tem que declarar Imposto de Renda?

Se você acha que não precisar fazer a declaração do imposto neste ano, mas quer ter certeza disso, fique tranquilo. A seguir vamos listar algumas condições que fazem com que o contribuinte não tenha que declarar o IRPF.

Veja quem não precisa declarar Imposto de Renda 💰

Se você se encaixar em algumas das situações indicadas a seguir, isso pode significar que não é necessário fazer uma declaração de Imposto de Renda no seu nome. Confira!

  • Rendimento mensal menor que R$ 1.99,18.
  • Aposentados com mais de 65 anos e cuja a única renda seja a aposentadoria.
  • Propriedade de bens com valor total menor que R$ 300.000,00.
  • Pessoa física dependente de outra pessoa física que vai declarar o IRPF.

Se o contribuinte se encaixar em situações das duas listas, ou seja, de quem precisa e de quem não precisa declarar IRPF, é importante saber que o Imposto de Renda vai ter que ser declarado, já que nesse caso valem as condições que tornam a declaração obrigatória.

Doenças que isentam da declaração do IRPF

Além da lista compartilhada acima, também existem outras situações que podem dispensar uma pessoa da obrigatoriedade de declarar o imposto, uma delas está ligada à saúde do contribuinte.

Dessa forma, a Receita Federal considera que os portadores de algumas doenças graves não têm a obrigação de entregar o IRPF.

  • Veja quais são essas doenças graves:

  • AIDS
  • Alienação Mental
  • Cardiopatia Grave
  • Cegueira (inclusive monocular)
  • Contaminação por Radiação
  • Doença de Paget em estados avançados (Osteíte Deformante)
  • Doença de Parkinson
  • Esclerose Múltipla
  • Espondiloartrose Anquilosante
  • Fibrose Cística (Mucoviscidose)
  • Hanseníase
  • Nefropatia Grave
  • Hepatopatia Grave
  • Neoplasia Maligna
  • Paralisia Irreversível e Incapacitante
  • Tuberculose Ativa

Como declarar Imposto de Renda?

Quando começa o prazo para a entrega do Imposto de Renda, o usuário deve acessar o site da Receita Feral para baixar o programa usada para o preenchimento e entrega da Declaração do Imposto de Renda. Confira 10 dicas de como declarar Imposto de Renda.

Com o programa já instalado no computador, o próximo passo é ter em mãos todas as informações que você quer declarar para começar a preencher o formulário do IRPF. Depois de concluir o preenchimento de todos os campos, você vai gerar e ter acesso ao documento que comprova a declaração do imposto de renda.

O que colocar na declaração?

No geral, você deve incluir na declaração todos os seus ganhos e gastos do ano anterior e os seus bens. Você pode colocar na declaração do imposto de renda gastos com educação, pagamento de aluguel e pensão, operações na bolsa de valores, despesas médicas e odontológicas, assim como saque do FGTS ou indenizações.

Saiba que nem todos os gastos informados serão deduzidos do imposto de renda. Porém, vale a pena colocar tudo que você achar necessário para que o sistema avalie o que será considerado em cada caso.

Pagamento do Imposto de Renda

Ao entregrar a declaração do imposto de renda, será possível saber se o valor de impostos que você pagou é o suficiente em relação aos seus ganhos, gastos e bens. Em alguns casos, os contribuintes recebem uma restituição dos impostos pagos, mas em outros é necessário pagar a mais.

Caso você tenha que pagar mais impostos, a Receita Federal deve enviar um boleto com o valor a ser pago ou fazer a cobrança por débito automático.

Passo a passo para declarar IRPF 2021

Se você quer fazer sozinho a declaração do Imposto de Renda de 2021, acompanhe o passo a passo que preparamos para facilitar todas as etapas do procedimento. Faça tudo com calma e atenção e em caso de dúvidas volte ao nosso artigo para entregar tudo corretamente e dentro do prazo. Confira as nossas dicas a seguir!

Programa da Receita Federal

Como comentamos ao longo do texto, fazer o download do programa da Receita Federal é o primeiro passo para preencher e enviar a declaração do IRPF. Caso você já o tenha instalado de outros anos, você pode escolher entre começar a fazer uma declaração totalmente em branco ou usar os dados do imposto de renda de outros anos, o que facilita caso a sua vida financeira não tenha passado por muitas mudanças.

Outra opção é baixar o aplicativo Meu IRPF da Receita Federal no celular e fazer a declaração diretamente no seu aparelho móvel.

Documentação

Com o programa já instalado, você pode começar a se preocupar com o que vai declarar. Então, recomendamos que você comece organizando os documentos, comprovantes e outros registros de gastos e ganhos para incluir na declaração.

Os principais são RG, CPF; comprovante de residência, dados bancários e informe financeiro do banco, informe de rendimentos da empresa, CPF dos dependentes, comprovantes de gastos com educação e saúde, documentos de veículos e imóveis e recibos de aluguel.

Caso você seja autônomo, tenha previdência privada ou tenha feito doações será necessário separar esses recibos também. Vale lembrar que os documentos podem mudar de acordo com a situação de cada contribuinte.

Preenchimento da Declaração

Com todos os documentos organizados em mãos, você pode começar a preencher a sua declaração do imposto de renda anual. Para essa etapa do processo, a principal dica é fazer tudo com atenção para que todas as informações sejam incluídas corretamente e você não tenha problemas com a malha fina. Preenhca o IRPF de acordo com a ordem dos dados pedidos em cada campo e não deixe de pesquisar caso surjam dúvidas ao longo do processo.

Declaração completa ou simplificada?

Com o documento totalmente preenchido, você já pode ficar tranquilo que a parte mais complicada já passou. Agora, você deve escolher se quer entregar a declaração do imposto de renda simplificada ou completa.

A declaração simplificada tem um desconto de 20% sobre o valor total, limitando a declaração máxima a R$ 16.754,34. Essa opção é indicada para quem não tem dependentes e gastos com educação, por exemplo. Já a declaração completa é uma ótima opção para quem tem dependentes e gastos com educação, saúde, investimento em plano de previdência do tipo PGBL e funcionários domésticos.

A parte boa é que o próprio sistema apresenta as duas opções e você pode escolher qual delas é melhor para você. Então, avalie os dois caso e veja qual vai ser mais vantajoso de acordo com as deduções aplicadas.

Envio da declaração do IRPF 2021

Se você chegou até aqui, imaginamos que você já tem o programa no computador, organizou a documentação do IRPF, preencheu a declaração e escolheu entre declaração simplificada e completa. Dessa forma, você chegou ao último passo e está muito perto de concluir o envio do Imposto de Renda 2021.

Aproveite esse momento para revisar as informações e ter certeza de que não esqueceu de incluir nada no sistema. Quando estiver seguro de que tudo correto, envia a declaração. Em seguida, você vai gerar o documento que comprava a sua declaração do IRPF. Você pode salvar ou imprimir o arquivo, de acordo com a sua preferência. Pronto! Agora você já está com o seu compromisso com a Receita Federal feito. Em caso de restituição, consulte as datas de pagamento.

Auxílio emergencial no Imposto de Renda

Se você recebeu o auxílio emergencial e não sabe se precisa declarar o imposto de renda, nós temos a resposta. A Receita Federal informou, no dia 25 de fevereiro, que os contribuintes que receberam o auxílio emergencial liberado por causa da pandemia da Covid-19 são obrigados a declarar o Imposto de Renda da Pessoa Física apenas se, junto com o auxílio, eles receberam outros rendimentos tributáveis que ultrapassem o valor anual de R$ 22.847,76.

Além disso, ficou decidido que o contribuinte que apresentar rendimento maior que R$ 22.847,76 terá que devolver o auxílio emergencial. Dessa forma, a Receita Federal prevê que cerca de três milhões de declarações façam algum tipo de devolução neste ano.

DARF | Imposto de Renda

O Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) é um documento para arrecadação de impostos e que gera muitas dúvidas no momento de declarar o imposto de renda.

Os impostos que podem ser pagos pelo DARF: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ), Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF), Programa de Integração Social (PIS), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS).

Se o cidadão mantiver o pagamento do DARF em dia, só será preciso comprovar esses pagamentos no momento da declaração do Imposto de Renda.

Como pagar o DARF do Imposto de Renda?

Existem DARFs emitidos com e sem código de barras e, por isso, o pagamento é realizado de maneira diferente. O DARF sem código de barras pode ser pago pelo internet banking de alguns bancos, na opção de “Pagamentos”, “Pagamentos de Tributos” ou “Pagamentos sem códigos de barras”.

Nesse caso, basta preencher as informações que constam no PDF gerado sem o código de barras e realizar o pagamento. Se preferir, pode realizar o pagamento em caixas eletrônicos usando a opção “Pagamentos” ou “Tributos”.

Carnê-Leão

O Carnê-Leão funciona como um livro-caixa da pessoa física que armazena as movimentações financeiras e é usador para gerar o DARF. Dessa forma, todas as receitas e despesas ficam registradas para o profissional prestar a declaração dos impostos no futuro. As profissões que mais utilizam esse recurso são: dentistas, psicólogos, médicos, engenheiros e corretores.

De acordo com informações da Receita Federal, a partir deste ano não será mais necessário baixar o programa ou aplicativo para celular do Carnê-Leão para registrar os rendimentos e gerar o DARF. Isso porque o Sistema de Recolhimento Mensal Obrigatório (Carnê-Leão) estará disponível para utilização online já para o ano-calendário 2021.

A receita ainda ressalta que são obrigados ao recolhimento mensal os contribuintes pessoas físicas, residentes no Brasil, que receberam rendimentos de outra pessoa física ou do exterior.

Restituição do Imposto de Renda?

A restituição do Imposto de Renda é um valor devolvido para o contribuinte que pagou tributos a mais para a Receita Federal. Sendo assim, esse valor só é pago para os cidadãos que entregam a declaração do Imposto de Renda e que podem comprovar a existência de um saldo a ser recebido por meio dos documentos e informes que foram incluídos na declaração do IRPF.

Se você quer saber se vai receber a restituição do imposto de renda, saiba que é possível consultar a restituição pelo site da Receita Federal.

FAQ Imposto de Renda - Perguntas frequentes

O que é Imposto de Renda?

O Imposto de Renda sobre Pessoas Físicas (IRPF), mais conhecido como Imposto de Renda, é um tributo federal que acompanha os gastos e ganhos dos brasileiros. Dessa forma, a Receita Federal analisa a declaração do imposto para saber se os impostos pagos no ano estão de acordo com os ganhos, pagamentos e patrimônios do declarante.

Quem deve declarar Imposto de Renda?

Devem declarar o imposto de renda pessoas com rendimento anual que ultrapasam R$ 28.559,70. Assim como quem tem rendimentos isentos que somam mais de R$ 40 mil em pagamento de dividendos de empresas ou de retorno de fundo imobiliário e quem tem receita bruta a R$ 142.798,50.

Quem é MEI precisa declarar Imposto de Renda?

Se o MEI emitir todas as notas fiscais, pagar o DAS (imposto simplificado) e realizar a Declaração Anual do Simples Nacional do MEI (DASN-SIMEI), ele não precisa fazer outra declaração. Mas se o empreendedor MEI recebeu R$ 40 mil de remuneração no ano anterior, ele vai precisar fazer a declaração de IR. Além disso, quem é MEI e recebe rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 também precisa declarar o IRPF.

Quem tem direito à restituição do Imposto de Renda?

A restituição do Imposto de Renda é o valor devolvido para o contribuinte que pagou tributos a mais para a Receita Federal. Esse valor só é pago para os cidadãos que fazem a declaração do Imposto de Renda e comprovam que existe um saldo a ser recebido através dos documentos e informes incluídos na declaração. É possível consultar se você vai receber a restituição através de um site específico da Receita Federal, veja aqui.

O que é Carnê-Leão?

O Carnê-Leão é um livro-caixa para pessoa física que tem o objetivo de registras as movimentações financeiras do dia a dia. Dessa forma, todas as receitas e despesas ficam registradas para o profissional prestar a declaração dos impostos com o Carnê-Leão. As profissões que mais usam esse recurso são: dentistas, psicólogos, médicos, engenheiros e corretores.

Quem recebeu auxílio emergencial precisa declarar imposto de renda?

Segundo informações da Receita Federal, os contribuintes que receberam o auxílio emergencial em 2020 são obrigados a declarar o Imposto de Renda da Pessoa Física caso tenham recebido outros rendimentos tributáveis com valor anual superior a R$ 22.847,76 junto com o auxílio. Também foi anunciado que o cidadão que declarar rendimento maior que R$ 22.847,76 vai precisar devolver o valor recebido pelo auxílio emergencial.

Selectra Seguros

Saiba mais sobre Finanças na Selectra!
Informações e dicas sobre investimento e finanças de um jeito simples para você!

Aproveite para ler outros artigos sobre finanças, investimentos e empréstimos!